moveideias_blog_afinal_o_que_nao_pode_faltar_na_gestao_de_logistica_em_2017

08 dez Afinal, o que não pode faltar na Gestão Logística em 2017?

A gestão logística já tem sido vista como estratégica dentro das empresas, com processos que ajudam a alcançar os objetivos, aprimorar o relacionamento com o cliente, reduzindo custos, entre outras coisas. Com isso, é muito importante ficar atento às tendências que vão surgir e encontrar meios de adaptá-las ao seu modelo de negócios.

No post de hoje, vamos falar sobre alguns aspectos que não podem faltar na sua gestão de logística em 2017. Continue a leitura e saiba quais são eles!

1. Gerenciamento de risco

O gerenciamento de risco é um processo de gestão responsável pela identificação dos riscos que podem prejudicar os resultados e elaborar meios de eliminá-los, ou minimizar seus impactos. É importante adotar essa rotina em todos os processos logísticos e não apenas no transporte de cargas — com medidas de prevenção a furtos e roubo, por exemplo.

Dessa forma, o gestor passa a atuar antecipadamente, em vez de apenas elaborar ações reativas, que visam reduzir os efeitos negativos. Com isso, é possível tornar os processos mais eficazes, reduzir desperdícios, aproveitar melhor a produtividade e diminuir os custos operacionais.

2. Otimização das rotas

O planejamento de rotas é necessário para a criação de um roteiro de entrega eficiente, considerando todos os pontos de distribuição e otimizando o gasto com combustível. Além de melhorar o atendimento ao cliente, ele ajuda a reduzir consideravelmente os custos com frete e os riscos de que as entregas não sejam realizadas dentro do prazo.

3. Notificação proativa

A notificação proativa ocorre quando informações importantes e de interesse são enviadas para o cliente, sem que seja necessário que ele entre em contato com a central. Ou seja, em vez de aguardar uma solicitação do consumidor, a própria empresa pode enviar os dados — como no caso do monitoramento de pedidos, em que o cliente pode acompanhar o status da sua entrega, sem que precise acionar o SAC.

Essa é uma medida que ajuda a encantar e reter os consumidores, oferecendo uma experiência de compra diferenciada.

4. Entrega Last mile

Quando se trabalha com cargas fracionadas e bem pulverizadas, as operações de transporte se tornam muito capilarizadas, o que dificulta o processo de distribuição. Uma opção para isso é fazer a consolidação dos pedidos em um veículo de grande porte, transportá-los até um centro de distribuição — que pode ser próprio, ou terceirizado — e, a partir dali, planejar as rotas da região com veículos menores.

A “última milha“, nesse caso, é essa segunda etapa do transporte, em que as cargas são dispersas em rotas diferentes, buscando otimizar o serviço de entrega e o valor do frete.

5. Sustentabilidade

Sustentabilidade é um conceito que está em alta ultimamente, principalmente entre as empresas, que buscam adotar meios de melhorar suas operações, de forma que se evite desperdícios, cause menos poluição, agredindo menos o meio ambiente. No que diz respeito à gestão de logística, ela pode ser alcançada por meio de:

  • Planejamento das rotas: que otimiza o percurso, economizando com combustível;
  • Otimização de processos: que ajuda a reduzir consideravelmente os desperdícios;
  • Logística reversa: que faz a coleta de embalagens, retornando para a empresa, ou entregando em um intermediário — responsável pela reciclagem, por exemplo —, ou ajudando no processo de trocas e devoluções, otimizando o percurso que os caminhões fariam vazios para voltar para a base.

Essas são apenas algumas das tendências que são fundamentais para aprimorar a gestão de logística em 2017 e tornar as operações da empresa ainda mais eficientes. Como bônus, ainda é possível melhorar o relacionamento e conquistar cada vez mais clientes.

Agora, leitor, aproveite os comentários e nos diga o que achou desse artigo. Comente com suas opiniões e experiências e participe da conversa!