moveideias_blog_capa_logistica_de_distribuicao_urbana_inteligente_e_possivel

06 set Logística de distribuição urbana inteligente: é possível?

A importância da logística de distribuição para as diferentes empresas comumente esbarra nas dificuldades impostas pelas cidades na hora do transporte. Cada vez maiores e mais habitadas por pessoas e carros, as cidades atualmente são verdadeiros desafios para uma logística de sucesso.

Diante desse cenário, a única forma de contornar todas as dificuldades é investindo em uma logística inteligente, que leve em consideração as forças e as fraquezas de estar na cidade para atender às necessidades dos clientes.

Essa tarefa, é claro, não é nada fácil já que exige uma estrutura mais robusta por parte da empresa de modo que a distribuição cumpra seus prazos e seus níveis de serviço e de execução.

Embora difícil, entretanto, é possível conseguir uma logística de distribuição urbana inteligente e de resultados. A seguir, você vai entender um pouco mais sobre o assunto.

O panorama da logística de distribuição urbana no Brasil

Atualmente no Brasil as maiores cidades possuem algum tipo de restrição à circulação de veículos, tanto os de passeio como principalmente os de transporte mais pesado. Em São Paulo, por exemplo, existe rodízio de veículos para a região do mini-anel viário. Nesse caso, os veículos com placas terminadas em determinados números não podem circular em certos dias da semana, variando de segunda à sexta-feira.

Há também faixas exclusivas para ônibus, restrições de veículos pesados em determinados horários na estrada, horários de carregamento e descarregamento e assim por diante.

O principal objetivo dessas restrições de locomoção é o de resolver, ainda que parcialmente, o problema de mobilidade urbana. Em uma metrópole, se todos os veículos estiverem na rua ao mesmo tempo o resultado virá em forma de congestionamentos, acidentes e perda elevada de produtividade como um todo.

Além disso, existe o fator social e ambiental já que quanto mais veículos estiverem rodando, em geral, será maior o número de gases lançados na atmosfera. Com essa restrição, diminuem também os impactos no meio ambiente, ainda que pontualmente.

A logística urbana no mundo

A restrição de circulação nas cidades, entretanto, não é uma exclusividade do Brasil. Em todo o mundo, muitas das maiores cidades adotam esse tipo de estratégia como forma de melhorar as questões de mobilidade urbana tanto para empresas como principalmente para os cidadãos.

Em janeiro de 2016, por exemplo, Nova Déhli, capital da índia, estreou o programa de restrição a veículos para tentar conter a poluição da cidade. Estados Unidos e Canadá também têm restrições, inclusive em relação ao peso dos caminhões. Países europeus como Espanha, Alemanha, Itália, França e Inglaterra também contam com seus programas de restrição, que variam desde o aumento do preço dos parquímetros até a restrição total de circulação.

Essa, portanto, é uma tendência global motivada cada vez mais pelo crescimento das cidades e pela busca de sustentabilidade. Como as cidades não estão mais dando conta de lidar com tantos veículos e tanta poluição, a saída ainda é a restrição de circulação, o que impacta diretamente a logística urbana.

Os desafios da logística de distribuição urbana no Brasil

A logística brasileira já possui desafios próprios. O excessivo e quase exclusivo uso de rodovias, a falta de qualidade nas estradas, a insegurança nas cidades e a falta de integração com outros modais de transporte são apenas alguns dos fatores que tornam a logística complicada.

Nas cidades, é ainda mais difícil. Ao disputar espaço com pedestres, carros, bicicletas e com o próprio desenvolvimento da cidade fica mais difícil garantir uma entrega que ao mesmo tempo seja de qualidade, barata, viável e pontual.

O trânsito nas grandes cidades é outro bom exemplo de problema, além da própria limitação de transporte como um todo.

A presença cada vez mais forte do e-commerce, o aumento da concorrência e as exigências cada vez maiores dos consumidores também desempenham papel importante nos desafios logísticos.

As possibilidades para uma logística urbana inteligente

Embora a saída mais utilizada seja a busca por desenvolver a logística tão longe da cidade quanto possível, especialmente a logística de última milha precisa ser desempenhada dentro da cidade.

Operações de carga e descarga de modo geral também exigem que os veículos estejam dentro da cidade, o que faz com que a otimização de logística urbana seja indispensável.

Nesse caso, utilizar a tecnologia pode fazer toda a diferença para os resultados. Ao utilizar um sistema de gerenciamento de transporte, por exemplo, é possível otimizar rotas. Nesse caso, dá para evitar os locais de pico e com mais congestionamento.

Já o rastreamento de veículos permite uma comunicação em tempo real entre o motorista e o gestor de logística de modo que seja possível mudar a rota de modo a evitar problemas e atrasos.

Planejar melhor a logística também é indispensável, inclusive para aproveitar horários em que há menos restrições, como à noite, de madrugada ou em finais de semana ou feriados, por exemplo. Quanto mais planejamento prévio houver, melhores são os resultados.

Para isso, é fundamental mapear as necessidades de cada cliente e criar um fluxo que aproveite o máximo de cada momento do transporte. Agrupar entregas que sejam para localidades próximas em um mesmo veículo quando possível, por exemplo, é uma forma de otimizar a logística urbana.

Por falar em resultado, manter um acompanhamento de indicadores e níveis de entrega também é necessário para ser capaz de compreender qual é o raio ótimo dentro do qual a empresa ainda é capaz de atender a seus consumidores com qualidade. Baseando-se nesses números, é possível estabelecer novas práticas e atitudes que levem a uma logística urbana cada vez mais adequada às necessidades.

A logística de distribuição urbana é cada vez mais complexa e não promete ser diferente nos próximos anos. Com isso, o único caminho a ser seguido é conhecer bem os desafios encarados pelas empresas brasileiras e começar a investir em formas de contornar essas dificuldades. No geral, planejamento logístico para cidades, execução com tecnologia e acompanhamento de resultados formam a tríade que permitem que essa logística seja otimizada dentro dos níveis esperados.

Quais os desafios que você encara com esse tipo de logística? O que você espera do futuro? Comente e participe.