19 maio Logística de alimentos: descomplique o setor que está em alta

Um dos setores que mais cresce é o dos alimentos. E junto com esse crescimento vem os desafios. Sendo assim, a preocupação com a logística acaba sendo um deles. O armazenamento e o transporte são etapas essenciais quando se trata da logística da indústria alimentícia. Para que uma empresa da área seja bem sucedida, é necessário que os processos logísticos de alimentos sejam eficientes e eficazes.

Acondicionamento

Quando se pensa em acondicionar um produto, a primeira coisa que deve vir em mente é a embalagem que esse item precisa ter. E é um fator que deve ser bem avaliado quando trata-se de alimentos perecíveis. As funções da embalagem se dividem em:

Embalagem Primária: é aquela em que o alimento é empacotado e remetido ao varejo para o consumidor final, conhecida como sacolas plásticas.

Embalagem Secundária: é a bandeja ou o filme que acondiciona a primária, a fim de que ela chegue em boas condições nos locais de venda.

Embalagem Terciária: são os que abrigam as embalagens secundárias, facilitando o manuseio da carga, seja na fase da armazenagem ou na do transporte.

Embalagem Quaternária: são os paletes padrão PBR, eles possuem a função de unitizar as embalagens terciárias para o transporte.

Embalagem Quinária: são aplicadas para o transporte como contêineres refrigerados ou isotérmicos.

Armazenagem

Os métodos de logística de alimentos que envolvam a armazenagem exigem sua devida atenção. Isso devido ao fato de que é nessa etapa que há o manuseio, onde pode ampliar as possibilidades de acontecer algum dano na embalagem e no próprio produto. É necessário, portanto, que todas as instalações físicas do setor, bem como os equipamentos e também os processos de recebimento e expedição, estejam apropriados para as operações. Vejamos, então, cada um destes aspectos, que são eles:

Equipamentos:

Todos os equipamentos de carga e descarga devem ser adequados ao transporte de alimentos. Sendo assim, devem possuir sistemas antivibração, além de é claro serem guiados por profissionais treinados e experientes.

Instalações:

Para o correto armazenamento, é fundamental que a temperatura ambiente seja ideal para preservar os alimentos. Também deve ser higienizado constantemente, para que os riscos de contaminação sejam minimizados e devem seguir todos os padrões da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Estocagem:

Por se tratar de alimentos, deve-se priorizar o aproveitamento do maior espaço possível. Lembrando é claro de deixar espaço entre os produtos, para que os itens fiquem ventilados e de fácil acesso.

Transporte

A fase do transporte é a que deixa o alimento mais vulnerável ao clima e ao incorreto manuseio. Por isso é preciso que ponha em prática estratégias para manter a preservação do alimento. Alguns fatores devem ser considerados para que esse processo seja bem sucedido:

Embarque e desembarque: o ideal para esse processo é que os alimentos estejam paletizados para poderem passar pelo processo de recebimento e expedição. Pois, os paletes e as embalagens adequadas acabam evitando a contaminação externa e também o choque térmico.

Transporte: os contêineres e as embalagens possuem a função de diminuir qualquer variação de temperatura e ventilação adequada para os alimentos. Além de que, os responsáveis pelo transporte devem evitar o excesso de umidade e condensação seguindo um padrão para cada tipo de alimento.

Entenda a visão sistêmica da logística

Logística de suprimentos: 

Caracteriza o início de um ciclo a partir do produto e da previsão de demanda, como: lotes, compras, recebimento, estocagem de matérias primas e insumos.

Logística de produção:

Tem início com o planejamento, a programação e o controle da produção, lotes, manuseio, movimentação interna e estoques em processo.

Logística de armazenagem:

É responsável por conservar o produto. Recebe os fluxos da produção e providencia a movimentação e estocagem de produtos acabados, unitização, processamento e expedição dos pedidos.

Logística de distribuição e transporte:

Efetua o planejamento da distribuição em: centralizadas, atacadistas, varejistas, representantes. Além disso, define as modalidades e rotas de transporte, sendo responsável desde a retirada dos estoques até a entrega no local definido pelo cliente.

Um software que pode facilitar esse processo é o Movecourier, a solução tecnológica de gestão e monitoramento de coleta e entrega em tempo real, que possibilita a racionalização e acompanhamento da movimentação logística dos entregadores. A plataforma da Moveideias oferece gestão, rastreio, otimização de rotas, alertas de inconformidades, alertas proativos a clientes e outras funcionalidades.

O Movecourier permite a integração com modelos de negócio voltado a redes de varejo, franquias, e-commerce, operadores logísticos e transportadores para processo de entregas.

Fluxo de informações:

É fundamental na logística contar com ferramentas tecnológicas de TI como: ERP, EDI, WMS, código de barras, roteirizadores, rastreadores. E se tudo isso estiver em uma única plataforma? O teuPedido possibilita o rastreio do processo do ciclo de pedidos de ponta a ponta e é integrado aos ERPs, MRP, WMS, TMS, entre outros.

Custo logístico:

É a soma dos custos de todos os elementos da cadeia logística.

Confira algumas dicas que podem tornar os processos de logística de alimentos mais eficientes:

Cada mercadoria tem uma necessidade específica

É preciso considerar as necessidades e diferenças de cada produto. E para isso é preciso que o transporte seja feito da forma mais adequada e eficaz possível. Por isso é preciso considerar as peculiaridades de cada produto alimentício. Cada espécie de alimento demanda uma embalagem própria, que seja capaz de assegurar as condições específicas do mesmo produto.

Código de barras é essencial para os produtos

Utilizar o código de barras em seus alimentos é uma forma de que eles estão em conformidade com todos os padrões. Por exemplo, o código EAN-13 é universal e possui 13 dígitos. Ele permite diferenciar lotes de produtos com maior rapidez e também assegura a adequação da mercadoria no Brasil e no exterior caso seja exportado.

Ações preventivas são um diferencial

Para evitar possíveis eventos e com o intuito de diminuir a ocorrência de contratempos, segue alguns itens que devem ser verificados para garantir as condições ideais para os produtos:

  • Aloque a carga do veículo, de maneira que permita a circulação de ar de forma adequada que o produto precisa
  • Verifique a calibragem dos medidores de temperatura do veículo
  • Descarregue a mercadoria apenas em condições favoráveis
  • Confirme a estabilização térmica do produto quanto ao interior do veículo, antes de refazer a expedição da mesma
  • Após a descarga, coloque sem demora o produto armazenado em câmaras que conservem a temperatura correspondente indicada para a conservação do alimento
  • Verifique a higienização do veículo de transporte e se ela corresponde às normas previstas
  • Assegure que os fornecedores e a sua equipe de logística estão cumprindo as práticas corretas de manipulação, a fim de garantir a integridade das embalagens dos produtos
FOTO:  MARJANBLAN
ESCRITO POR: JÚLIA RESENDE GAFFREÉ